PUBLICIDADE

Adolescentes em semiliberdade têm apoio e proximidade da família para ressocialização


PUBLICIDADE

01/02/2011 09h00

Adolescentes em semiliberdade têm apoio e proximidade da família para ressocialização

Adolescentes em semiliberdade têm apoio e proximidade da família para ressocialização



Campo Grande (MS) – Educação, trabalho e um contato mais próximo com a família fazem parte da rotina dos adolescentes que cumprem medidas socioeducativas em regime de semiliberdade na Capital. A UNESL  (Unidade Educacional de Semiliberdade) )Tuiuiú é a unidade que recebe os adolescentes que estão nesta modalidade de socioeducação. Segundo a diretora da Unei, Ramona de Almeida Oliveira, a função do regime de semiliberdade é levar o jovem a se reinserir na sociedade de forma monitorada e com a participação efetiva dos familiares. “Tudo para que ele repense, reflita na sua atitude até agora, com o apoio da equipe da unidade que dá todo o suporte que ele precisa”, diz a diretora, que também é assistente social e especialista em família e políticas públicas.

Atualmente quatro jovens cumprem medidas socioeducativas na UNESL Tuiuiú, que tem capacidade para abrigar até 16 jovens. A unidade é masculina e somente no último semestre atendeu a 23 garotos entre 15 e 18 anos. Nesta modalidade de socioeducação os jovens seguem para a unidade somente para dormir. As atividades escolares e trabalho são feitas fora. “Os adolescentes devem estar matriculados em uma escola e quando eles têm uma oportunidade de trabalho também são liberados, porém tudo é acompado por uma equipe multidisciplinar. Acompanhamos de perto todas as atividades dos nossos adolescentes fora da unidade”, explica Ramona.





PUBLICIDADE
  • WhatsApp TUDODOMS459
PUBLICIDADE
  • academia374
  • museu da cachaça319
  • Nelson Dias12
PUBLICIDADE